12 found
Sort by:
See also:
  1. Maria Isabel Limongi (2013). Potentia E Potestas No Leviathan de Hobbes. Doispontos 10 (1).
    In the Leviathan, power can be understood in two different senses, which are carefully discriminated in its Latin version by the use of the terms potentia and potestas to translate, depending on the context and the type of power concerned, the English power. Potentia and potestas, although types of power of a different nature – one, the physical power that bodies have to take effect on each other; the other, the juridical power, out of which legal effects as justice itself (...)
    Direct download (5 more)  
     
    My bibliography  
     
    Export citation  
  2. Maria Isabel Limongi (2011). A ordem da concupiscência e a grandeza do homem em Pascal. Trans/Form/Ação 29 (1):45-61.
    Pascal concebe a ordem civil como uma ordem da concupiscência, isto é, uma ordem produzida e regulada pela concupiscência. Ao dispensar a virtude de ser o fundamento da ordem civil, ele não promove, contudo, a separação entre a política e a moral, mas assinala um novo e problemático papel para a virtude no interior da ordem civil – não mais o de produzi-la, mas o de julgá-la de modo apropriado.
    Translate to English
    | Direct download (5 more)  
     
    My bibliography  
     
    Export citation  
  3. Maria Isabel Limongi (2011). Hume jusnaturalista. Kriterion 52 (124):447-456.
    Translate to English
    | Direct download (5 more)  
     
    My bibliography  
     
    Export citation  
  4. Maria Isabel Limongi (2011). Jusnaturalistic Hume. Kriterion 52 (124):447-456.
    Translate to English
    |
     
    My bibliography  
     
    Export citation  
  5. Maria Isabel Limongi (2011). O ponto de vista do espectador e a medida do juízo moral em Hume. Discurso 41 (41):113-140.
    O ponto de vista do espectador e a medida do juízo moral em Hume.
    Translate to English
    | Direct download (4 more)  
     
    My bibliography  
     
    Export citation  
  6. Maria Isabel Limongi (2009). Direito e Poder: Hobbes e a dissolução do Estado. Doispontos 6 (3).
    Partindo da idéia de que, a partir da Maquiavel, a relação entre direito e poder tornou-se problemática, procura-se tratar aqui do modo como Hobbes lidou com esse problema. De um lado, ele separou essas duas instâncias, por ele entendidas enquanto duas modalidades diferentes de relações entre os homens. Por outro, ele apoiou tais relações umas sobre as outras, na constituição do Estado. Quer-se mostrar que, longe de incidir numa incoerência, a diferença e ao mesmo tempo o apoio recíproco entre relações (...)
    Translate to English
    | Direct download (5 more)  
     
    My bibliography  
     
    Export citation  
  7. Maria Isabel Limongi (2006). Order of Concupiscence and Greatness of Man in Pascal. Trans/Form/Ação 29 (1):45-61.
    Pascal conceives the civil order as an order of conscupiscence, that is, an order produced and regulated by concupiscence. However, when exempting virtue from being the source of civil order, he does not advance the separation between politics and morals, but signals a new and problematic role to virtue in the interior of civil order - no more the role of producing it, but of judging it properly.Pascal concebe a ordem civil como uma ordem da concupiscência, isto é, uma ordem (...)
    Direct download (3 more)  
     
    My bibliography  
     
    Export citation  
  8. Maria Isabel Limongi (2006). Pascal e a ordem da concupiscência. Kriterion 47 (114):321-334.
    Translate to English
    | Direct download (4 more)  
     
    My bibliography  
     
    Export citation  
  9. Maria Isabel Limongi (2003). Sociabilidade e moralidade: Hume leitor de Mandeville. Kriterion 44 (108):224-243.
  10. Maria Isabel Limongi (2003). Sociabilidade e moralidade: Hume leitor de Mandeville. Kriterion: Revista de Filosofia 44 (108):224-243.
  11. Maria Isabel Limongi (2000). Hobbes e o conatus: da física à teoria das paixões. Discurso 31:417-440.
    A noção de conatus desempenha na física hobbesiana um papel inequívoco: o de.explicar as determinações de um movimento sem recorrer à idéia de uma potencialidade ou inclinação para o movimento. Nossa questão consiste em saber se a noção de conatus cumpre a mesma função na teoria das paixões, e, a partir daí, na medida em que respondamos afirmativamente esta questão, trata-se de procurar compreender, minimamente que seja, ao que consiste para Hobbes uma paixão.
    Translate to English
    | Direct download (6 more)  
     
    My bibliography  
     
    Export citation  
  12. Maria Isabel Papaterra Limongi (1994). A relação entre a razão e as paixões na Antropologia Hobbesiana. Discurso 24:147-158.
    Este texto pretende indicar que a teoria da soberania hobbesiana não tem por função resolver, a favor da razão, um conflito entre ela e as paixões anti-sociais, mas um desnível entre o cálculo prudencial e racional, entre os planos dos fatos e de sua expressão verbal, ou entre dois modos de o pensamento se colocar a serviço das paixões.
    Translate to English
    | Direct download (6 more)  
     
    My bibliography  
     
    Export citation