Year:

  1. Teoria da Literatura: Filósofos Versus Téoricos.André Barbosa de Macedo - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):308-319.
    As relações entre Filosofia e Teoria Literária iniciaram-se no longínquo período de afirmação das bases do pensamento ocidental na Grécia platônica e aristotélica. No século XX, constatamos que filósofos continuam a dedicar escritos à discussão teórica sobre a Literatura. Nesse sentido, podemos recordar e abordar ensaios de Sartre, Lukács e Adorno. Por outro lado, a Teoria Literária passou, cada vez mais, a ser uma área dos estudos literários – e dentre esses estudos há aqueles que se colocam como uma ramificação (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  2. O Duplo Sem Fim: A Escrita Em Queda de Rodrigo de Souza Leão.Aline Leal Fernandes Barbosa - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):155-168.
    Rodrigo de Souza Leão tematizou em sua obra sua própria relação com a esquizofrenia, doença da qual era portador. Em uma escrita com traços fortemente autobiográficos, encontramos tanto a autoridade do testemunho como a desconfiança desta fala na contracorrente do discurso da razão. Além disso, trata-se uma escrita inserida em um “rótulo” já codificado por outros escritos de loucos, avançando junto ao público certas modalidades de recepção. No âmbito deste artigo, pretendemos problematizar a loucura como chave de leitura ao pensar (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  3. O Cinismo Em Aguafuertes Porteñas, de Roberto Arlt.Graziele Camilo da Costa - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):169-184.
    Roberto Emilio Godofredo Arlt foi um escritor, jornalista e dramaturgo argentino considerado um dos maiores escritores da literatura latino-americana. Em suas obras, ele recupera o valor estético popular e contesta a hierarquização de saberes por meio de homenagens aos tipos marginalizados da cidade de Buenos Aires. Um exemplo dessas homenagens é a obra Aguafuertes Porteñas, composta por crônicas que têm como personagens principais tipos populares como o malandro, o solteirão, o homem traído, o preguiçoso, entre outros. Esses tipos possuem uma (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  4. Filosofia E Ficção Com o Máximo de Leveza: Entrevista Com Gustavo Bernardo.Vitor Cei & Eduardo Freire Ribeiro - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):6-13.
    A presente entrevista com o professor e escritor Gustavo Bernardo Krause foi feita em abril de 2016, como atividade da disciplina Literatura em devir, então ministrada pelo professor Vitor Cei. O trabalho contou com a coautoria de Eduardo Freire Ribeiro e colaboração de João Duarte e Nara Peres Maister, discentes do curso de Letras-Português da Universidade Federal de Rondônia. Em 2017 foram acrescentadas novas perguntas e respostas, contemplando o projeto de extensão “Notícia da atual literatura brasileira: entrevistas”, que é um (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  5. A Estética Das Minorias Contra a Correlação de Institucionalismo Forte, Cientificismo E Tecnicalidade: Sobre a Voz-Práxis Das Minorias Como Arte-Literatura.Leno Francisco Danner, Agemir Bavaresco & Fernando Danner - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):14-48.
    No artigo, defenderemos que a voz-práxis estética permite aos movimentos sociais, às iniciativas cidadãs e às minorias político-culturais a auto-expressão e a auto-afirmação desde si mesmas e por si mesmas, em termos de eu-nós lírico-político, de modo a enquadrar e a superar a correlação de institucionalismo forte, cientificismo e tecnicalidade que caracteriza a constituição, a legitimação, a evolução e a vinculação sociopolítica das instituições modernas, tais como a ciência, o direito, a política partidária e a economia. Essas instituições ou sistemas (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  6. “Un Mystère de Présence Totale”: Jankélévitch, Debussy and the Mystery of Music.Lorenzo De Donato - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):320-330.
    This essay investigates some issues of the Twentieth Century French philosopher and musicologist Vladimir Jankélévitch’s Musical Aesthetics and Philosophy of Music, particularly referring to his original interpretation of the French musical Impressionism, with emphasis to some composers such as Claude Debussy, Maurice Ravel and Gabriel Fauré. Specifically, the paper pays attention to the aesthetical and musical criticism of the author towards Debussy’s music. Which are the features and the characteristics of the Jankélévitch’s philosophical musicology? How much the purely theoretical and (...)
    No categories
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  7. Texto Criativo, Texto Estranho, Ponto de Vista Nativo E Autobiografia Indígena: Discussões Teórico-Metodológicas Para Uma Fundamentação da Crítica Literária Indígena Na Contemporaneidade.Julie Dorrico - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):67-91.
    Este ensaio visa discutir teorias que circundam a produção literária indígena na contemporaneidade. As discussões em torno da produção literária ameríndia colaboram para se pensar em uma fundamentação teórico-metodológica voltada à cultura indígena. Nesse sentido, texto criativo, texto estranho, escritas de ouvido, autobiografia indígena desdobram-se em reflexões acerca do lugar dos textos extraocidentais, como se lê estes textos estranhos, como ocupar um ponto de vista nativo e como perceber a extrospecção nestes textos literários de produção indígena. Tendo enquanto suporte autores (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  8. Absoluto Literário E Absoluto Filosófico: Sobre a Querela Entre Arte E Filosofia Em Hegel E No Frühromantik.Guilherme Ferreira - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):267-282.
    Desde a expulsão dos poetas da república da razão de Platão, as querelas entre arte e filosofia, literatura e filosofia ocuparam na estética e na filosofia da arte – especialmente nas estéticas do Früromantik e do Idealismo alemão – um lugar central no que tange, sobretudo, à relevância e destaque de uma em relação à outra no processo de formação da cultura moderna. Nesse sentido, o presente trabalho pretende investigar em que medida o absoluto literário do Früromantik e o Absoluto (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  9. FERRARI, Emiliano. Montaigne, Une Anthropologie des Passions. Paris: Garnier, 2014. [REVIEW]Marcelo Fonseca de Oliveira - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):331-334.
    Foi publicado em 2014, pela editora Livraria Garnier, o livro de Emiliano Ferrari intitulado Montaigne, Uma antropologia das paixões. O autor é pesquisador de pós-doutorado na Universidade de Lyon 3 e encarregado do seminário no Colégio Internacional de Filosofia de Paris.
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  10. O Engajamento Existencial Das Personagens D’O Conto da Ilha Desconhecida: Diálogos Entre José Saramago E Jean-Paul Sartre.Ana Yanca da Costa Maciel - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):185-214.
    O presente estudo objetiva propor uma discussão em torno da literatura engajada, apontando contribuições estéticas e políticas, como um gesto intrínseco ao próprio fazer literário, relacionado ao engajamento intelectual dos escritores José Saramago e Jean-Paul Sartre. Salientamos o comprometimento histórico que os autores reimprimem em sua escrita. Para efeito de discussão, investigamos como se dá o engajamento existencial de duas personagens saramaguianas: o “homem do leme” e a “mulher da limpeza”, d’O Conto da Ilha Desconhecida. Levamos em consideração algumas indagações, (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  11. Machado Maquiavélico.Alex Lara Martins - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):106-125.
    Maquiavel é uma das principais fontes filosóficas da ficção de Machado de Assis. Pretendo identificar as diversas maneiras pelas quais essa fonte atravessa a ficção machadiana e propor um modo de leitura, de maneira a associar, por um lado, seu conhecimento filosófico a uma perspectiva cética e moralista e, de outro lado, o seu plano de carreira literária às modificações formais de sua ficção.
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  12. “Foi Assim Que Ele Matou Aquela-Com-Quem-Ele-Brincava-Sempre”: Uma Análise da Transgressão Moral da Personagem Feminina Em Uma Narrativa Paiter Suruí.Luana Jessica Gomes Pagung - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):92-105.
    O Brasil possui uma grande diversidade de povos indígenas, dentre eles se encontra a população Paiter Suruí, uma etnia que se localiza em uma região fronteiriça ao norte do município de Cacoal até o município de Aripuanã. A este povo pertence a narrativa de expressão oral “Um Namorado-Anta”, que compõe o corpus da análise. O presente artigo tem por objetivo analisar como a transgressão moral da personagem feminina se estrutura e produz saberes acerca das relações de gênero. A narrativa em (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  13. A Ficção Literária Serve Pra Quê? Ou Quem Tem Medo de Elizabeth Costello?Licia Kelmer Paranhos - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):215-233.
    Este artigo investiga na obra de J.M.Coetzee - Elizabeth Costello - a maneira como sua produção ficcional instaura uma espécie de metaficção na qual são traçados não só uma reflexão sobre a arte em geral, mas o exercício do pensamento a partir da obra de arte em particular. A narrativa transita entre os campos da ficção e da filosofia e ressalta na estrutura do romance os conflitos entre a razão e a imaginação criadora. A questão da linguagem enquanto forma que (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  14. História e Ficção em Peirce e Foucault.Attila Piovesan - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):234-251.
    O debate entre História e Ficção, seja no âmbito literário como em outros, relaciona sujeitos e agentes humanos a uma escala temporal. História e a Ficção se entrelaçam em uma malha semiótica cuja distinção, em última análise, repousa em fatores para além do reino dos signos, como sugerem as noções de crença, dúvida e hábito de Peirce e as práticas do discurso, do poder e do sujeito deslindadas por Foucault. A associação de tais tópicos com o conceito de semiose e (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  15. Ulisses E as Sereias Na Partilha Do Sensível: Kafka E Homero.André Luís de Macedo Serrano - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):252-266.
    A proposta deste artigo é fazer uma análise crítica do episódio de Ulisses e as Sereias, em Kafka e em Homero, tendo como referencial a ideia de Jacques Rancière de uma partilha do sensível na literatura e nas artes. Tal concepção enseja dois questionamentos: primeiro, sobre o conceito de mimesis – extensamente debatido na tradição filosófica desde Platão e Aristóteles. Segundo, sobre as discursividades da literatura e da filosofia, como lugares da ficção e da verdade. Este percurso entre duas literaturas (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  16. Do Voo da Poesia À Fixidez Do Pensamento: A Alma E o Poeta Entre a Metafísica Renascentista E a Reforma da Ciência.Thiago Gonçalves Souza - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):283-307.
    Neste artigo, pretendemos acompanhar um momento de transformação da compreensão sobre o fazer poético, dado em correlação com o embate de arranjos metafísicos e epistemológicos que pretendem fornecer uma determinada imagem do mundo e da natureza da alma. Nesse sentido, observaremos como, no Renascimento, se engendra uma “ontologia mágica” e uma metafísica neoplatônica fundamentais para o entendimento da atividade da alma como copula mundi e, em decorrência, do poeta como Deus in terris; a partir disso, veremos como a proposta de (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  17. Entre a Sátira da Metafísica E as Portas Do Mistério: Machado de Assis E a Filosofia Do Inconsciente de Eduard von Hartmann.Janaina Tatim - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):126-154.
    Neste artigo, desenvolvo um ângulo para localizar e qualificar a relação de Machado de Assis com a Filosofia do Inconsciente de Eduard von Hartmann. Primeiro, investigo essa relação pelo ângulo da sátira do Humanitismo, no que o pensamento de Eduard von Hartmann se encaixa nas características das novas teorias que serviram à paródia de Machado, precisamente devido a sua pretensão de conciliar cientificidade e metafísica. Contudo, levando em conta o fato de que na primeira versão do romance Quincas Borba Machado (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  18. Decreto.Marcus Vinícius Xavier de Oliveira - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (4):49-66.
    O presente texto que toma a forma de ensaio, foi elaborado por ocasião do evento organizados pelos Grupo de Pesquisa em Teoria Política Contemporânea, Ética, Estética e Filosofia da Literatura e de Estudos Literários, intitulado “Interlocuções entre Literatura, Filosofia e Direito”, ocorrido entre os dias 06 e 08 de dezembro de 2016, na Universidade Federal de Rondônia. O objetivo do ensaio é a de demonstrar, desde uma leitura transdisciplinar do poema de Paulo Leminski “Bem no Fundo”, que a pretensa luta (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  19. Kairós, parusía y haber llegado a ser como elementos constitutivos de la vida fáctica. La recepción que Heidegger hace de San Pablo.Miguel Antonio Ahumada Cristi - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (1-2):53-67.
    En la prédica de San Pablo, especialmente en Cartas a los Tesalonicenses, Heidegger observa tres elementos fundamentales: kairós, parusía y haber llegado a ser. Estos han sido apropiados y transformados por Heidegger con el objeto de fundamentar el modo de vida fáctico de Dasein. En este artículo nos proponemos explicar cómo el filósofo alemán hace recepción de San Pablo por medio de estos tres conceptos.
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  20. Sócrates: Repugnante E Fascinante.Djalma Lopes Da Silva - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (1-2):183-194.
    O objetivo deste artigo é refletir sobre a afirmação feita por Nietzsche no capítulo “O problema de Sócrates”, de Crepúsculo dos ídolos, de que Sócrates seria uma figura contraditória, capaz de despertar repugnância e fascínio entre os antigos gregos.
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  21. Hegel, o Agir Humano E as Perspectivas de Uma Ética Para Além Do Indivíduo.Josenir Lopes Dettoni & Lenir Lopes Dettoni - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (1-2):84-95.
    No presente artigo, fazemos um breve percurso acerca de elementos centrais do pensamento hegeliano, como a noção de sistema, totalidade, movimento e dialeticidade. Analisamos como tais posicionamentos teóricos iluminaram o tema da ação humana e confrontamos esse pensamento com perspectivas éticas atuais que apontam a exacerbação da noção de individualidade como fundamento moral para ação. Por fim, sustentamos que Hegel pode nos oferecer valiosas ferramentas para um pensar ético-filosófico que não se reduziria apenas ao âmbito individual, nem somente ao coletivo, (...)
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  22. O Dasein Como Interpretação Do Ser Como Negativo- Uma Leitura Deleuziana de Heidegger.Elemar Kleber Favreto - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (1-2):120-140.
    O presente artigo discorre sobre a crítica deleuziana ao conceito heideggeriano de Dasein, por três principais acepções: 1) o Dasein como dobra ontológica, que o toma como consciência temporalizada que se vê perante a questão do Ser; 2) o Dasein como ser-para-a-morte, que postula a morte como findar, como fim da pre-sença, ou como finalidade do Dasein no tempo; e, 3) o Dasein como ser-com, que formaria uma compreensão pré-ontológica do Ser, onde o “senso comum” ainda povoaria a própria compreensão (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  23. A hermenêutica da existência finita em ser e tempo- Repercussões pedagógicas.José Ferreira Jr - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (1-2):2-34.
    Exposição de alguns aspectos básicos da analítica existencial realizada por Martin Heidegger na obra Ser e Tempo. Nosso ponto de partida é o curso do semestre de verão de 1923, Hermenêutica da facticidade, no qual o filósofo antecipa muitas das descrições fenomenológicas presentes na analítica existencial de Ser e Tempo. Em seguida, explicita-se as estruturas ontológicas do homem como ser-aí cuja constituição fundamental é ser no mundo, analisando as possíveis repercussões no campo da educação.
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  24. A cuarenta años del debate Piaget-Chomsky: Derroteros teóricos y perspectivas actuales.Mariela Cecilia Genovesi - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (1-2):141-155.
    En octubre de 1975 tuvo lugar el famoso debate efectuado entre Jean Piaget y Noam Chomsky en el castillo de Royaumont, Paris. Cuarenta y un años después de este suceso, resulta interesante recuperar parte de lo discutido en aquel entonces a la luz de las investigaciones posteriores desplegadas dentro del campo de la Gramática Generativa y la Teoría del Desarrollo en lo que respecta al vínculo entre el pensamiento y el lenguaje. Es así que se pondrán en discusión los aportes (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  25. Interpretações Do Totalitarismo: Hannah Arendt E Friedrich-Brzezinski.Acríssio Luiz Gonçalves - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (1-2):68-83.
    O presente artigo tem como objetivo apresentar e discutir duas diferentes leituras do fenômeno totalitário: a interpretação de Hannah Arendt, exposta na obra The Origins of Totalitarianism, de 1951, e a interpretação elaborada por Carl J. Friedrich e Zbigniew K. Brzezinski, na obra Totalitarian Dictatorship and Autocracy, de 1956. Embora as duas leituras apresentem pontos de contato, principalmente por considerarem o totalitarismo uma novidade em termos políticos, mostraremos que elas diferem, sobretudo em relação à descrição da finalidade desses movimentos de (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  26. The Stoic Sign and the Pragmatic or Implicit Premises in the Formal Theories.Miguel López-Astorga - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (1-2):171-182.
    The current formal theories trying to account for reasoning and language often need to resort to the thesis of the pragmatic or implicit premises to explain the real role pragmatics plays in the human inferential activity. The main aim of this paper is to show that, although they did not propose theories in this way, the Stoics, by means of their concept of ‘sign’, already offered the essential arguments and foundations necessary to describe the real action of both pragmatics and (...)
    No categories
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  27. Reinventar a Emancipação Social da Amazônia: Um Olhar Sobre a Amazônia a Partir da Teoria Crítica.Alexsandro Melo Medeiros - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (1-2):156-170.
    Este artigo pretende fazer uma análise sobre a realidade complexa da Amazônia tomando como referência os aportes teóricos da Teoria Crítica e, mais precisamente, utilizando os conceitos de emancipação e razão instrumental e de como é necessário pensar uma emancipação possível que faça frente às consequências do uso instrumental da razão, tal como entendem Adorno e Horkheimer com a publicação da obra Dialética do Esclarecimento. Neste artigo pretendo demonstrar como a razão instrumental, aliada ao uso da técnica e da ciência (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  28. A Influência da Biopolítica Na Constituição da Vida Humana: Uma Leitura Dos Dispositivos de Controle Em Foucault.Elinalva Pinto de Carvalho - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (1-2):96-119.
    A problemática que fomenta o presente trabalho se pauta no desenvolvimento de um poder capaz de moldar, aperfeiçoar e construir as relações sociais humanas, a partir de, práticas voltadas ao controle da espécie. Este trabalho analisa a complexa relação entre Vida e política que configura as tecnologias de poder e seu potencial na constituição dos sujeitos. Assim, a vida se transformou em uma estratégia da política moderna, quando esta passou a gerenciar os processos biológicos da população. Esta dimensão do poder (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  29. O Corpo E o Conhecimento de Si Na Filosofia de Arthur Schopenhauer.Karla Samara dos Santos Sousa - 2017 - Clareira: Revista de Filosofia da Região Amazônica 4 (1-2):35-52.
    O presente ensaio pretende analisar a noção de corpo no pensamento do filósofo alemão Arthur Schopenhauer, especialmente a partir de suas reflexões sobre a metafísica da Vontade e epistemologia, basilares para a leitura do que podemos denominar conhecimento de si em sua doutrina. Dentre os pontos elencados encontram-se a concepção de que o corpo pode ser visto, ao mesmo tempo, de dois modos distintos: como elemento chave para a descoberta do núcleo mais íntimo do homem e, por analogia, de toda (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
 Previous issues
  
Next issues