19 found

Year:

  1. Escritura, encarnação, temporização: Merleau-Ponty e Derrida acerca de A origem da Geometria.Emmanuel Alloa - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    A história intelectual do século XX tem sido escrita ao longo de um cenário que vê, na morte de Merleau-Ponty em 1961, a linha de divisória entre uma geração existencial e fenomenológica e o evento do estruturalismo imediatamente subsequente. A publicação das notas de leitura de Merleau-Ponty sobre o texto A origem da geometria, de Edmund Husserl, tem mostrado quão frágeis são os alicerces desta leitura simplificadora. Na verdade, enquanto a tradução e introdução de Derrida ao texto de Husserl, de (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  2. Carne e Espelho em Merleau-Ponty.Emmanuel de Saint Aubert - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    Entrelaçada com estruturações naturais e história pessoal, a carne, na concepção gradualmente forjada por Merleau-Ponty, é nutrida pelas influências combinadas da neurologia, Gestalt psicologia e psicanálise. Essa tripla influência sustenta um tema recorrente em seus últimos escritos: o espelho. "A carne é um fenômeno de espelho", nos diz Merleau-Ponty. Os manuscritos não publicados revelam que esta famosa sentença não se refere diretamente a Husserl, nem a Wallon e Lacan, mas é conduzida pelas leituras contemporâneas de Paul Schilder e Wolfgang Metzger, (...)
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  3. Como seria ver como um ser humano?Etienne Bimbenet - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    Perguntaremos aqui "como seria ver como um ser humano". Tal questão é difícil, pois recuando um passo em relação à percepção e considerando que ela pode não ser o que é, essa questão vai de encontro àquilo que é comumente considerado como a "atitude natural". Merleau-Ponty articulou esta relativização da visão humana e seu realismo espontâneo de duas maneiras diferentes. Em primeiro lugar, há o que poderia ser chamado a "via da finitude". Ela consiste em assumir o ponto de vista (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  4. Entre o Ser e o Nada: a dissolução ontológica na filosofia de Merleau-Ponty. [REVIEW]Gisele Batista Cândido & Mariana Tomzhinsky Scarpa - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  5. "a Ebulição Na Massa D'água" Ou A Linguagem Segundo Merleau-ponty.Leandro Neves Cardim - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    Este trabalho investiga alguns desdobramentos das relações entre a linguagem criadora e a linguagem sedimentada na obra de Maurice Merleau-Ponty. Trata-se de avaliar as diferentes posições adotadas pelo filósofo a propósito desta relação utilizando como fio condutor a imagem do líquido em ebulição. A força heurística desta imagem nos ajudará, por um lado, a compreender os diferentes pontos de vista utilizados para interpretar o fenômeno da linguagem; por outro, servirá como índice para acompanharmos a retificação e o aprofundamento interno desta (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  6. L’animal Que Je Ne Suis Plus. [REVIEW]Alexandre Torres Carrasco - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  7. A Ética Política De Merleau-ponty : O Problema Do Humanismo.Guillaume Carron - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    Neste artigo, tentamos definir alguns aspectos de uma ética política na filosofia de Merleau-Ponty. É possível descrever um problema recorrente e estrutural em seu trabalho político: a questão do "humanismo". Este problema implica que o objetivo de qualquer ação política consiste na "instituição" de um vínculo simbólico entre os seres humanos. Argumentamos que o problema do humanismo estrutura o pensamento político do filósofo e explica a relação de Merleau-Ponty com o marxismo e a história. A intrepidez da instituição, que pode (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  8. Merleau-Ponty: da constituição à instituição.Marilena Chauí - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    O artigo analisa a presença e o papel dos conceitos de instituição e de constituição no interior da filosofia de Merleau-Ponty. Buscamos compreender a referência à obra de Husserl, onde tais conceitos se misturam à tarefa fenomenológica de superar a crise da razão através da instalação de um saber rigoroso, fundado no poder constituinte da consciência. Levamos em conta, porém, o fato de que para Merleau-Ponty a fenomenologia precisa admitir que a infraestrutura secreta e selvagem onde nascem nossas teses não (...)
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  9. Merleau-Ponty leitor dos clássicos.Carlos Alberto Ribeiro de Moura - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    Este trabalho pretende comentar a doutrina que Merleau-Ponty expõe, em seus distintos períodos, sobre o que caracteriza a obra clássica e sua interpretação. Aponta-se como pressupostos dessa doutrina a admissão de uma certa filosofia da linguagem, bem como de uma particular teoria da produtividade. Em função disso, pergunta-se se, efetivamente, foi feita, ali, uma crítica radical da "filosofia da consciência", como usualmente se supõe.Arte. Filosofia. Criação. Interpretação. Linguagem. Intencionalidade.This paper comments on the doctrine which Merleau-Ponty presents, in different periods of (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  10. Pensar e viver para além das categorias do real e do irreal: Merleau-Ponty e o imaginário operante.Annabelle Dufourcq - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    A dimensão de violência e radicalidade no pensamento de Merleau-Ponty, com suas implicações desestabilizadoras, é frequentemente perdida. A "carne", em Merleau-Ponty, não é pacífica. É um Ser explosivo e aberto, a partir do qual "consciência de si", "real" e "verdade", no sentido clássico, são impossíveis. O artigo pretende demonstrar que Merleau-Ponty cinde a distinção clássica entre real e irreal, engendrando uma profunda reorganização do campo do conhecimento e da ética, e tornando possível, de certo modo, uma fusão entre eles. Se (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  11. A Pintura Como Paradigma Da Percepção.Ericson Sávio Falabretti - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    As reflexões sobre a pintura atravessam todo o itinerário da obra de Merleau-Ponty e parecem indicar os motivos do movimento e da unidade do seu pensamento, especialmente quando buscamos compreender o alcance significativo da percepção enquanto um acontecimento pré-reflexivo. A experiência da percepção é radicalizada na pintura que expressa um "nível primordial" - "leva à sua última potência um delírio que é a visão mesma" - com todos os caracteres que a própria fenomenologia buscou atingir ao descrever as diferentes formas (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  12. La chair des images: Merleau- Ponty entre peinture et cinéma. [REVIEW]Mariana Larison - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  13. Merleau-Ponty em Salvador. [REVIEW]Alex Campos Moura - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  14. Merleau-Ponty e a “filosofia da consciência”.Luiz Damon Santos Moutinho - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    Esse texto é a apresentação inicial de uma leitura de conjunto da obra de Merleau-Ponty. Ele é essencialmente crítico pois nele apenas discutimos as interpretações de Carlos Alberto Ribeiro de Moura e Renaud Barbaras - interpretações que, apesar de suas diferenças, convergem no diagnóstico de que se trata de uma "filosofia da consciência". Procuramos mostrar o que nos parece insuficiente e parcial nessas interpretações. Merleau-Ponty. “Filosofia da consciência”. Cogito. Sujeito. Carlos Alberto Ribeiro de Moura. Renaud Barbaras.This paper constitutes the initial (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  15. Editorial.Luiz Damon Santos Moutinho & Etienne Bimbenet - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  16. Fenomenologia E Ontologia Em Merleau-Ponty. [REVIEW]José Bastos Neves - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  17. Le monde sensible et le monde de l’expression. Cours au Collège de France. Notes, 1953. [REVIEW]Cristiano Perius & Matheus Hidalgo - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  18. Après Merleau-Ponty. Études Sur la Fécondité D’Une Pensée. [REVIEW]Silvana de Souza Ramos - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  19. A Reelaboração Do Transcendental Em Merleau-ponty.Marcus Sacrini - 2012 - Dois Pontos 9 (1).
    Neste artigo, defendo que Merleau-Ponty reformula a filosofia transcendental de matiz kantiano no sentido de mostrar que as condições a priori da experiência não podem ser separadas das vivências concretas do sujeito encarnado. Na primeira seção, eu retorno a Kant e Husserl para analisar como esses autores delimitam as condições transcendentais como um domínio formal independente de qualquer experiência concreta. Em seguida, reconstruo o movimento argumentativo pelo qual Merleau-Ponty rejeita essa delimitação formal da esfera transcendental e reapresenta essa última como (...)
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
 Previous issues
  
Next issues