Year:

  1.  3
    The Apolitical Social Contract: Contemporary Democratic Politics Beyond Depoliticized Social Contract.Danner Leno - 2017 - Kriterion: Revista de Filosofia 58 (136):101-123.
    ABSTRACT This article provides a criticism of the apolitical starting point of social contract theories through the analysis of Rawls's original position and Habermas's idea of complex society, arguing that such depoliticized starting point leads to the refusal of the centrality of social struggles between classes as the basis of streamlining social evolution and institutional constitution. In order to achieve political agreement, it erases and even eliminates the struggles between social classes, the status quo and the social-political differences between social (...)
    No categories
    Direct download (3 more)  
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  2. Hume Crítico de Locke: Contrato Social E Whiggism.Eveline Hauck - 2017 - Kriterion: Revista de Filosofia 58 (136):87-100.
    RESUMO A crítica de Hume ao contrato social admite um alcance para além do debate com o contratualismo de Locke: nosso autor tem em vista, sobretudo, desconstruir os princípios filosóficos que são a base da prática política dos Whigs. Uma vez que o contrato original organiza esses princípios, Hume se dedicará a analisá-lo em termos filosóficos e históricos, na tentativa de modernizar o pensamento político de sua época. ABSTRACT Hume's criticism of the social contract allows a range beyond the debate (...)
    No categories
    Direct download (3 more)  
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  3. Desconstruir a Corrupção: O Papel Do Legislador, Príncipe E Soberano. A Análise Do Caso No Pensamento de Jean-Jacques Rousseau.Adriano Eurípedes Medeiros Martins - 2017 - Kriterion: Revista de Filosofia 58 (136):7-22.
    RESUMO Não há Estado sem os indivíduos. Para Rousseau a construção do Estado requer a participação direta dos cidadãos. A participação ativa dos cidadãos resultará na expressão da vontade geral. É a vontade geral que, via pacto social, dará vida e união ao Estado. O Estado é um projeto de corpo político. A participação ativa dos cidadãos com vistas a impedir a corrupção e a dissolução da sociedade remete à concepção da soberania popular. Nessa modalidade de soberania, os cidadãos seriam (...)
    No categories
    Direct download (3 more)  
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  4. O Acordo Legal Justo Proposto No Livro II da "República" de Platão.Diogo Norberto Mesti - 2017 - Kriterion: Revista de Filosofia 58 (136):45-64.
    RESUMO O objetivo deste artigo é investigar a justificativa para o contrato no início da história do pensamento político grego, tendo em vista o estatuto do acordo no livro II da "República" de Platão. Pretendese avaliar como Glaucon apresenta o contratualismo da maioria das pessoas como um desdobramento da tese de Trasímaco de que o justo é o vantajoso para o mais forte e em conexão com os valores que levam as pessoas a admitirem a necessidade do contrato em razão (...)
    No categories
    Direct download (3 more)  
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  5.  6
    Hobbes as a Sociobiologist. Rethinking the State of Nature.Darat G. Nicole - 2017 - Kriterion: Revista de Filosofia 58 (136):163-183.
    ABSTRACT In the following text we aim to present a proposal of interpretation of Hobbes's work from sociobiology viewpoint. Despite the fact it may strike some at first as an anachronism or straightforward wrong, reading the philosopher of Mamelsbury from a sociobiological perspective, can shed light on some particular aspects of his argument, particularly those referring to the construction of human nature and its influence on the modulation of the state of nature and on the justification of authority and political (...)
    Direct download (3 more)  
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  6.  2
    Voluntarismo E Cognitivismo: A Crítica de Michael Sandel Ao Contratualismo de Rawls.Rafael Rodrigues Pereira - 2017 - Kriterion: Revista de Filosofia 58 (136):185-202.
    RESUMO O objetivo deste artigo é o de ilustrar a oposição dos comunitaristas ao contratualismo, a partir da análise de um caso específico: a crítica de Michael Sandel ao voluntarismo contido na teoria de Rawls. Sandel chama de "voluntarismo" a tese pela qual princípios políticos e morais se legitimam a partir de um exercício da vontade individual, sob a forma da "escolha" ou do "consentimento". Esta tese, como procuraremos argumentar, está na base do contratualismo moderno, embora somente em Rawls ela (...)
    No categories
    Direct download (3 more)  
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  7.  3
    O Argumento da Estabilidade No Contratualismo de John Rawls.Petroni Lucas - 2017 - Kriterion: Revista de Filosofia 58 (136):139-161.
    RESUMO Neste artigo, são rejeitadas duas teses relativamente aceitas a respeito do projeto filosófico tardio desenvolvido por John Rawls. A primeira tese afirma que o objetivo de obras como "O Liberalismo Político" e "Justiça como Equidade: Uma Reformulação" seria o de revisar a natureza do argumento contratualista de Rawls. A segunda, por sua vez, afirma que a principal consequência dessa revisão teria sido certo recuo das implicações igualitárias de sua teoria da justiça original. Procurar-se-á rejeitar ambas as proposições mostrando que (...)
    No categories
    Direct download (3 more)  
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  8. Contrato Social E Direito Natural Em Jean-Jacques Rousseau.Lucas Mello Carvalho Ribeiro - 2017 - Kriterion: Revista de Filosofia 58 (136):125-138.
    RESUMO É certamente hegemônica na recepção do pensamento político rousseauniano, de seus primeiros momentos à exegese contemporânea, a tese segundo a qual o contrato social seria incompatível com a negação do direito natural. A convicção comum a esses intérpretes, herdada da tradição jusnaturalista moderna, é a de que, na ausência de uma obrigação moral prévia - a lei natural - e, portanto, de uma sanção que confira força vinculante à promessa daqueles que se engajam no ato de contratar, o pacto (...)
    No categories
    Direct download (3 more)  
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  9. Hobbes E a Filosofia Do Poder: Os 'Princípios' Antipolíticos Do LeviatムNa Leitura de Hannah Arendt.Rodrigo Ponce Santos - 2017 - Kriterion: Revista de Filosofia 58 (136):203-220.
    RESUMO O foco de nossa investigação é a relação estabelecida por Hannah Arendt entre o imperialismo e a filosofia política de Thomas Hobbes. Trata-se de investigar como o tema se configura em "Origens do Totalitarismo" e de que modo ele contribui para sua tentativa de iluminar o tempo presente. Nosso primeiro passo será refazer o argumento segundo o qual o imperialismo surge no conflito entre a estabilidade das instituições nacionais e seu desejo de expansão, o que também se configura como (...)
    Direct download (2 more)  
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  10. Concurso E Transferência: Uma Crítica Espinosana Ao Contrato Social de Hobbes.Daniel Santos da Silva - 2017 - Kriterion: Revista de Filosofia 58 (136):23-43.
    RESUMO O texto propõe um retorno a alguns conceitos e filósofos relevantes para o debate sobre o contrato social no século XVII: a partir de certos princípios sobre os quais se assenta o alcance inovador e crítico da teoria hobbesiana, e vendo no contrato social um suporte causal para o entendimento e a intervenção política, procuro compreender em que sentido o conceito de transferência deve convir ao de poder absoluto do soberano e o que isso implica de crítica à ideia (...)
    Direct download (3 more)  
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
  11. A Abordagem Contratualista de "a Theory of Justice" Entre Método E Objetivos. Algumas Observações a Partir Das Últimas Críticas de Onora O'Neill.Emanuele Tredanaro - 2017 - Kriterion: Revista de Filosofia 58 (136):65-86.
    RESUMO O objetivo do presente trabalho é propor, mediante o papel que a relação entre método e objetivos desempenha em "A theory of justice", uma possível leitura da abordagem contratualista sui generis adotada por Rawls em sua obra-prima. De modo particular, aproveitaremos, como ponto de partida, duas críticas que Onora O'Neill apresenta em uma de suas últimas intervenções sobre o pensamento de Rawls. Tentaremos mostrar, então, como tais críticas padecem de certa inconsistência, na medida em que for enfatizada a complementaridade (...)
    No categories
    Direct download (3 more)  
     
    Export citation  
     
    My bibliography  
 Previous issues
  
Next issues