Debate actual da secularização: teorias adeptas versus teorias adversárias


Abstract
Este artigo tem como objectivo organizar as teorias da secularização de forma diferente, assentando-as em filiações filosóficas/sociológicas e em níveis de análise. Para tal, como método, usa-se a análise comparada de conteúdo das teorias e/ou dos trabalhos mais relevantes dos principais autores. As teorias podem dividir-se em dois grupos principais, adeptos e adversários da secularização. Enquanto os adeptos se afiguram como aprofundamentos e ajustamentos das teorias clássicas à realidade contemporânea, advogando sobretudo a religiosidade individual, os adversários apresentam concepções diferentes das teorias clássicas da secularização, defendendo a permanência da religiosidade institucional. No primeiro grupo encontram-se as teorias pós-clássicas e as teorias da individualização, enquanto no segundo grupo apresentam-se o modelo económico, as teorias do regresso e as teorias histórico-culturais. Weber e Durkheim, e as correntes epistemológicas que representam, são a maior influência das várias teorias existentes, umas mais descendentes do primeiro, outras do segundo. O modelo económico distingue-se das restantes teorias por ser a única que não é influenciada por Weber e que é influenciada pelo empirismo anglo-saxónico.
Keywords Durkheim  Weber  secularisation, adept theories, opponent theories, Weber, Durkheim  secularização  teorias adeptas  teorias adversárias
Categories No categories specified
(categorize this paper)
DOI 10.5752/P.2175-5841.2018v16n49p326-355
Options
Edit this record
Mark as duplicate
Export citation
Find it on Scholar
Request removal from index
Translate to english
Revision history

Download options

Our Archive


Upload a copy of this paper     Check publisher's policy     Papers currently archived: 42,993
Through your library

References found in this work BETA

No references found.

Add more references

Citations of this work BETA

No citations found.

Add more citations

Similar books and articles

Del expresionismo.Raúl Angulo Díaz - 2003 - El Catoblepas: Revista Crítica Del Presente.
Teorías formales y teorías empíricas.María Cancela Silva - 2002 - Revista Portuguesa de Filosofia 58 (3):703-705.
Teorías formales y teorías empíricas.María Celeste Cancela Silva - 2002 - Revista Portuguesa de Filosofia 58 (3):703-705.
Sobre teorías físicas y teorías matemáticas.Jesús Mosterín - 1975 - Teorema: International Journal of Philosophy:69-87.
Teorías de verdad y teorías del significado.Celso Vargas - 1989 - Revista de Filosofía de la Universidad de Costa Rica 66:445-456.
Tropos: teorías monocategoriales versus teorías bicategoriales.Joan Pagès - 2000 - Teorema: International Journal of Philosophy 19 (2):33-56.
Lógica, matemáticas y conceptualismo.Max Freund Carvajal - 2011 - Signos Filosóficos 13 (25):9-45.

Analytics

Added to PP index
2018-05-02

Total views
8 ( #816,000 of 2,259,693 )

Recent downloads (6 months)
2 ( #663,859 of 2,259,693 )

How can I increase my downloads?

Downloads

My notes

Sign in to use this feature