Termos Singulares Indefinidos: Frege, Russell e a tradição matemática

Saberes: Filosofia E Educação (Filosofia Lógica e Metafísica An):33-53 (2016)

Authors
Daniel Durante
Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Abstract
É bem conhecida a divergência entre as posições de Gottlob Frege e Bertrand Russell com relação ao tratamento semântico dado a sentenças contendo termos singulares indefinidos, ou seja, termos singulares sem referência ou com referência ambígua, tais como ‘Papai Noel’ ou ‘o atual rei da França’ ou ‘1/0 ’ ou ‘√4’ ou ‘o autor de Principia Mathematica’. Para Frege, as sentenças da linguagem natural que contêm termos indefinidos não formam declarações e portanto não são nem verdadeiras nem falsas. Já para as sentenças da matemática, Frege defende que elas precisam ser corrigidas através da convenção forçada de uma referência não ambígua. Russell, por outro lado, aceita os termos indefinidos e propõe, através de sua teoria das descrições definidas, uma maneira de avaliar as sentenças em que eles ocorrem; e Quine amplia a teoria de Russell para abranger também os nomes com problemas de referência. Na prática da matemática são comuns os termos singulares indefinidos, sem referência, tais como ‘1/0 ’, ou com referência ambígua, tais como ‘√4’. Apesar de não haver uma sistematização rigorosa desta situação entre os matemáticos, há, no entanto, um conjunto de regras convencionais que tradicionalmente costumam ser aplicadas no tratamento matemático dos termos indefinidos. Nossa proposta é tomar a convenção matemática como inspiração e modelo para apresentar uma interpretação semântica formal para as descrições definidas e os nomes e utilizá-la como um argumento que favorece a abordagem de Russell relativamente à de Frege.
Keywords semântica  descrições definidas  referência  funções parciais  nomes  termos singulares
Categories (categorize this paper)
Options
Edit this record
Mark as duplicate
Export citation
Find it on Scholar
Request removal from index
Translate to english
Revision history

Download options

Our Archive
External links

Setup an account with your affiliations in order to access resources via your University's proxy server
Configure custom proxy (use this if your affiliation does not provide a proxy)
Through your library

References found in this work BETA

Frege: Philosophy of Language.Michael Dummett - 1974 - Philosophy 49 (190):438-442.
The Philosophy of Gottlob Frege.Richard L. Mendelsohn - 2005 - Cambridge University Press.

Add more references

Citations of this work BETA

No citations found.

Add more citations

Similar books and articles

Inexistência e Obstinação.João Branquinho - 2013 - In Adriana V. Serrão, Carla M. Simões, Elisabete M. De Sousa, Filipa Afonso, Maria Luísa Ribeiro Ferreira & Ubirajara Rancan de Azevedo Marques (eds.), Poética da razão: homenagem a Leonel Ribeiro dos Santos. Lisboa, Portugal: pp. 385-397.
Referência e termos singulares.C. E. Caorsi - 2011 - Princípios 30 (30):375-388-.
Nomes Vazios.Teresa Marques & Manuel García-Carpintero - 2014 - Compêndio Em Linha de Problemas de Filosofia Analítica.
Some Remarks on Perry’s Reflexive Content and Cognitive Significance.Filipe Martone - 2017 - Philósophos - Revista de Filosofia 22 (1):67-83.
Significado e Cognição. O Legado de Frege.João Branquinho - 2016 - In Léo Peruzzo Júnior E. Bortolo Valle (ed.), Filosofia da Linguagem. Curitiba, PR, Brasil: pp. 9 - 52.
Donnellan, Nomes Millianos E o Contingente a Priori.Filipe Martone - 2017 - Kriterion: Journal of Philosophy 58 (138):539-556.

Analytics

Added to PP index
2019-07-15

Total views
124 ( #68,523 of 2,289,680 )

Recent downloads (6 months)
84 ( #7,955 of 2,289,680 )

How can I increase my downloads?

Downloads

My notes

Sign in to use this feature