Nota sobre infinito atual e forma lógica no Tractatus

Discurso 38:197-214 (2008)

Abstract
Parece haver quase um consenso, entre os comentadores, em torno da tese segundo a qual o “primeiro Wittgenstein” nada veria de problemático na ideia de um infinito atual, ao contrário do que claramente ocorre com o “segundo Wittgenstein”. O que eu gostaria de fazer aqui não é tentar reverter esse veredicto, mas sugerir que o exame das provas que o sustentam merece ser refeito. Para tanto, começarei por tentar mostrar como a letra dos aforismos 5.526 e 5.5262 parece levantar uma dificuldade para a tese consensual. Em seguida, procurarei encontrar, sob a letra, o espírito dessa dificuldade, isto é, buscarei nos princípios mais básicos do Tractatus as razões que subjazem às afirmações desses aforismos. Para finalizar, após fazer um balanço desse exame no que diz respeito à tese consensual, procurarei mostrar como ele aponta para a relevância da notação para o infinito, que João Vergílio Cuter prescreve para o Tractatus
Keywords Wittgenstein, Tractatus, infinito, forma lógica
Categories (categorize this paper)
Reprint years 2008
DOI 10.11606/issn.2318-8863.discurso.2008.62550
Options
Edit this record
Mark as duplicate
Export citation
Find it on Scholar
Request removal from index
Translate to english
Revision history

Download options

Our Archive


Upload a copy of this paper     Check publisher's policy     Papers currently archived: 44,365
Through your library

References found in this work BETA

No references found.

Add more references

Citations of this work BETA

No citations found.

Add more citations

Similar books and articles

Analytics

Added to PP index
2013-11-03

Total views
27 ( #323,892 of 2,271,744 )

Recent downloads (6 months)
4 ( #326,749 of 2,271,744 )

How can I increase my downloads?

Downloads

My notes

Sign in to use this feature