11 found
Order:
  1.  9
    Hume E o empirismo na moral.Adriano Naves de Brito - 2001 - Philósophos - Revista de Filosofia 6 (1/2).
    O que pretendo defender neste texto é que uma posição empirista na moral é compatível com uma pretensão de validade intersubjetiva de juízos morais. Essa pretensão deve, nesse caso, estar calcada na naturalização dos fundamentos da moralidade, mas tem de conviver com limites acerca da justificação de enunciados de valor. Para defender esse ponto, sirvo-me da filosofia moral de Hume, como ele a expôs no seu texto Uma investigação sobre os princípios da moral. No que diz respeito à filosofia de (...)
    Direct download  
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark   1 citation  
  2.  11
    O papel da empatia e das emoções nas distinções morais/The role of empathy and emotions in moral distinctions.Matheus de Mesquita Silveira & Adriano Naves de Brito - 2013 - Natureza Humana 15 (2).
    Este artigo tem como tema central o problema do fundamento das distinções morais, conforme proposto por David Hume na obra Investigações sobre os princípios da moral e, mais especificamente, o problema da motivação moral, tomando como foco o papel que as emoções e a empatia têm no comportamento em sociedade de animais de vida social complexa. No que tange a essa questão, a importância dada aos afetos pela tese humeana será relacionada com a teoria evolucionista. A fim de ilustrar esse (...)
    No categories
    Direct download (2 more)  
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  3.  11
    Hume e o entendimento humano:estudo introdutório.Adriano Naves de Brito - 1997 - Philósophos - Revista de Filosofia 2 (2):03-24.
    Este trabalho é um estudo introdutório e didático da concepção humeana do entendimento humano.Na primeira parte apresento a concepção empirista em que Hume se inscreve, na segunda são sumariados os principais aspectos de sua teoria acerca do entendimento humano e na última parte teço algumas considerações a propósito do papel da linguagem e do juízo nesta teoria. .
    Direct download  
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  4. Hume ou Kant?Adriano Naves de Brito - 2002 - Philósophos - Revista de Filosofia 7 (2).
  5. Volume 9 número 2 ano 2004.Adriano Naves de Brito - 2004 - Philósophos - Revista de Filosofia 9 (2).
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  6. Naturalism: Contemporary Perspectives.Juliano Santos do Carmo, Flávia Carvalho, Clademir Araldi, Carlos Miraglia, Alberto Semeler, Adriano Naves de Brito, Sofia Stein, Marco Azevedo & Nythamar de Oliveira - 2013 - NEPFIL online | Dissertatio's Series of Philosophy.
    The basic assumption present in these articles is that naturalism is highly compatible with a wide range of relevant philosophical questions and that, regardless of the classical problems faced by the naturalist, the price paid in endorsing naturalism is lower than that paid by essentialist or supernaturalist theories. Yet, the reader will find a variety of approaches, from naturalism in Moral Philosophy and Epistemology to naturalism in the Philosophy of Language, Philosophy of Mind and of the Aesthetics.
    Direct download  
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  7. Naturalist Fallacy and Moral Naturalism: Do and Ao Must Want Through.Adriano Naves de Brito - 2010 - Kriterion: Journal of Philosophy 51 (121):215-226.
  8. Volume 8 Número 1 Ano 2003.Adriano Naves de Brito - 2003 - Philósophos - Revista de Filosofia 8 (1).
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  9. Volume 8 número 2 ano 2003.Adriano Naves de Brito - 2003 - Philósophos - Revista de Filosofia 8 (2).
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  10. Will, Value, and the Fact of Reason1.Adriano Naves de Brito - 2008 - In Valerio Hrsg V. Rohden, Ricardo Terra & Guido Almeida (eds.), Recht Und Frieden in der Philosophie Kants. pp. 23.
    No categories
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  11. The Role of Reasons and Sentiments in Tugendhat's Moral Philosophy.Adriano Naves de Brito - 2008 - Critica 40 (119):29-43.
    In this paper I discuss Tugendhat's moral philosophy by focusing on his conception of moral justification and the role sentiments play in it. In order to understand, and to criticize, the relationship between reasons and sentiments in Tugendhat's moral philosophy, the correlation between judgment and affection is scrutinized. Furthermore, I argue that as far as the innermost structure of morality is concerned individuals have far less autonomy to accept or reject any moral system than Tugendhat is prepared to admit. /// (...)
     
    Export citation  
     
    Bookmark