6 found
Order:
  1.  53
    Oscilações entre o reducionismo e o fisicalismo não-redutivo no naturalismo biológico de John Searle.Tárik de Athayde Prata & Maxwell Morais de Lima Filho - 2013 - Trans/Form/Ação 36 (2):195-218.
    O artigo examina a concepção de Searle sobre a redução da consciência (em especial a sua teoria acerca de seus poderes causais), que se mostra obscura e incoerente. Porém, essa incoerência não é inevitável, pois o naturalismo biológico possui elementos que permitiriam a articulação de uma teoria mais clara a respeito das capacidades causais. O exame da teoria de Pereboom e Kornblith possibilita entender por que a afirmação de identidade das capacidades causais leva a um reducionismo. Essa teoria aponta um (...)
    Direct download (9 more)  
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  2.  22
    É o naturalismo biológico uma concepção fisicalista?Tárik de Athayde Prata - 2012 - Principia: An International Journal of Epistemology 16 (2):255-276.
    http://dx.doi.org/10.5007/1808-1711.2012v16n2p255 O artigo investiga se o naturalismo biológico (a solução de John Searle para o problema mente-corpo) pode ser considerado uma concepção fisicalista acerca da mente. Apesar de defender um fisicalismo a respeito dos particulares (seção 2), Searle adere ao argumento básico dos dualistas para a irredutibilidade das propriedades mentais (seção 3), e não consegue fundamentar sua alegação de que tal irredutibilidade é compatível com o fisicalismo (seção 4). Desse modo, sua teoria da mente se revela como um dualismo de (...)
    Direct download (5 more)  
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  3. Dificuldades da concepção de John Searle sobre a redução da consciência: o problema das capacidades causais.Tárik de Athayde Prata - 2008 - Princípios 15 (24):05-29.
    O artigo investiga a concepçáo de reduçáo de Searle no que se refere à compatibilidade entre redutibilidade causal e simultânea irredutibilidade ontológica da consciência à atividade cerebral. A reduçáo causal da consciência – a explanabilidade causal de suas características por processos cerebrais e a identidade de suas capacidades causais (seçáo 2) – é incompatível com a irredutibilidade ontológica (seçáo 3), porque a diferença ontológica entre características subjetivas e objetivas torna a identidade das capacidades causais incompreensível (seçáo 4). O principal problema (...)
    No categories
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  4.  3
    A Estrutura da Autoconsciência Na Filosofia da Mente de John Searle.Tárik de Athayde Prata - 2017 - Veritas 62 (2):428.
    A tese defendida no presente artigo é que a autoconsciência, na visão de Searle é uma caraterística do campo unificado de consciência. Após uma discussão de três distinções a respeito da consciência propostas por Rosenthal, é discutido o conceito de consciência de Searle – como um fenômeno qualitativo, subjetivo e unificado – e o caráter holístico desse conceito. A discussão que Searle faz dos conceitos de autoconsciência e de introspecção mostra que ele acredita que uma autoconsciência implícita é uma característica (...)
    No categories
    Direct download (2 more)  
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  5.  10
    Características E dificuldades do naturalismo biológico de John Searle.Tárik de Athayde Prata - 2009 - Philósophos - Revista de Filosofia 14 (1):141-173.
    The paper aims at giving a general exposition of John Searle’s solution of the mind-body problem – biological naturalism – and examines its fundamental theses, and some of its consequences. The exam of such theses – which delineates the characteristics of Searle's theory – shows that the theory has three main difficulties, since it holds some assertions which at first sight seem to be incompatible.
    Direct download  
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark  
  6.  8
    Subjetividade ontológica na filosofia da mente de John Searle.Tárik de Athayde Prata - 2007 - Philósophos - Revista de Filosofia 12 (2).
    This paper contains an analysis of a famous criticism from John Searle on materialist tradition. This tradition uses to ignore or even refuse the subjectivity of mental phenomena. This paper examines Searle’s strategy to defend this subjectivity, refusing the essential character of behavior to the mental aspect (section II), distinguishing subjective and objective in epistemic and ontological senses (section III) and showing his solution to the problem of other minds (section IV). However, his attempt to obtain an indirect access to (...)
    Direct download  
    Translate
     
     
    Export citation  
     
    Bookmark