Abstract
Na ausência de uma teoria explícita da justiça, em Arendt, iremos abordar o assunto através de um desvio: tomaremos os campos de concentração como ponto de partida; abordaremos os conceitos de mal radical e banalidade do mal; e mostraremos que, nessa autora, o antídoto para a injustiça reside na concepção de justiça significando julgamento e não ao modo pensado pela tradição: virtude e valor. Essa discussão se dá dentro da tentativa arendtiana de recuperar o sentido originário da política, o mundo comum, esteio da condição humana na qual a diversidade e a pluralidade são requisitos para novos começos, novas instituições, novos atos de liberdade. Utilizaremos, prioritariamente, para balizar a nossa reflexão, além da obra de Hannah Arendt, os livros Justiça em tempos sombrios, de Cristina Ribas e Hannah Arendt e a banalidade do mal, de Nádia Souki.
Keywords No keywords specified (fix it)
Categories No categories specified
(categorize this paper)
DOI 10.26694/pensando.v10i20.8186
Options
Edit this record
Mark as duplicate
Export citation
Find it on Scholar
Request removal from index
Translate to english
Revision history

Download options

PhilArchive copy


Upload a copy of this paper     Check publisher's policy     Papers currently archived: 64,077
External links

Setup an account with your affiliations in order to access resources via your University's proxy server
Configure custom proxy (use this if your affiliation does not provide a proxy)
Through your library

References found in this work BETA

No references found.

Add more references

Citations of this work BETA

No citations found.

Add more citations

Similar books and articles

Banalização da "Banalidade Do Mal" de Hannah Arendt.José Francisco Lopes Xarão - 2017 - Pensando: Revista de Filosofia 8 (15):296-314.
A “ação educativa" em Hannah Arendt.Cleriston Petry - 2019 - Conjectura: Filosofia E Educação 24:019035.
Hannah Arendt E o Direito : O Outlaw E o Direito a Ter Direitos.Odilio Alves Aguiar - 2019 - Kriterion: Journal of Philosophy 60 (143):403-415.
A Possibilidade de Novos Começos.Maria Cristina Müller - 2018 - Philósophos - Revista de Filosofia 23 (1):347-376.
Book Review. [REVIEW]Adriano Correla - 2005 - Cadernos de Ética E Filosofia Política 7:165-173.

Analytics

Added to PP index
2021-05-13

Total views
1 ( #1,507,974 of 2,454,542 )

Recent downloads (6 months)
1 ( #449,188 of 2,454,542 )

How can I increase my downloads?

Downloads

Sorry, there are not enough data points to plot this chart.

My notes