Abstract
Este estudo se ocupa com algumas questões do prólogo do Parmênides, que, em geral, passam desapercebidas, mas são importantes para a compreensão da arquitetônica do diálogo. Haverá de ter, por exemplo, algum significado o fato de Platão trazer para dentro do Diálogo, Céfalo de Clazômenas, que veio para Atenas encontrar Antífon e ouvir dele um relato de Pitodoros sobre o que Parmênides e Zenão, vindos de Eleia, confabularam com Sócrates em Atenas. Clazômenas é a terra de Anaxágoras, daquele que, a convite de Péricles, fundou em Atenas uma escola filosófica. Do debate que ocorreu entre Parmênides, Zenão e Sócrates, na casa de Pitodoros, foi Pitodoros, quem, por primeiro, registrou de memória; depois ele passou a Antífon, e, Antífon, passou a Céfalo, que, enfim, veio a ser, e não o irmão de Platão, o relator do Diálogo. Há, pois, um fluxo de personagens e de regiões que compõem o Diálogo. Há ainda algo inusitado: Zenão, perante Sócrates e seus companheiros, na casa de Pitodoros, fez uma leitura de seus “escritos”, dos quais, no final, Sócrates pediu a Zenão que relesse apenas “o primeiro argumento”: o do paradoxo do Um e do Múltiplo, tema sobre o qual incidiram o debate e a construção do Diálogo. Este estudo cumpre três etapas: comenta o introito, esboça a tratativa do Um e do Múltiplo e ensaia algumas possibilidades de leitura e de interpretação do Parmênides.
Keywords No keywords specified (fix it)
Categories No categories specified
(categorize this paper)
DOI 10.5902/2179378643308
Options
Edit this record
Mark as duplicate
Export citation
Find it on Scholar
Request removal from index
Translate to english
Revision history

Download options

Our Archive


Upload a copy of this paper     Check publisher's policy     Papers currently archived: 50,391
External links

Setup an account with your affiliations in order to access resources via your University's proxy server
Configure custom proxy (use this if your affiliation does not provide a proxy)
Through your library

References found in this work BETA

A Greek-English Lexicon.P. M., H. G. Liddell, R. Scott & H. Stuart Jones - 1935 - Journal of Hellenic Studies 55:261.

Add more references

Citations of this work BETA

No citations found.

Add more citations

Similar books and articles

O "Parménides" Como Diálogo Aporético.José Gabriel Trindade Santos - 2020 - Voluntas: Revista Internacional de Filosofia 11 (1):22.
A Interpretação Lógica Do “Parmênides” de Platão No Médio Platonismo.Chiara Bonuglia - 2020 - Voluntas: Revista Internacional de Filosofia 11 (1):111.
O "Parmênides" de Platão Revisitado.Samuel Rickless - 2020 - Voluntas: Revista Internacional de Filosofia 11 (1):8.
Heráclito e heraclitismo no Crátilo de Platão.Luisa Severo Buarque - 2015 - Archai: Revista de Estudos Sobre as Origens Do Pensamento Ocidental 15:135-141.
O "Parmênides" E as Doutrinas Não-Escritas de Platão: O Uno E o Outro.Dennys Garcia Xavier - 2020 - Voluntas: Revista Internacional de Filosofia 11 (1):100.
Uma Reflexão Sobre a Temporalidade No "Parmênides" de Platão.Gérson Pereira Filho - 2020 - Voluntas: Revista Internacional de Filosofia 11 (1):86.
Os sentidos da Eleuthería na República de Platão.Anastácio Borges de Araújo Júnior - forthcoming - Archai: Revista de Estudos Sobre as Origens Do Pensamento Ocidental.
Ser E discurso no parmênides de platão.Eliane Christina Souza - 2010 - Philósophos - Revista de Filosofia 15 (1):87-118.

Analytics

Added to PP index
2020-05-01

Total views
1 ( #1,412,859 of 2,326,099 )

Recent downloads (6 months)
1 ( #646,834 of 2,326,099 )

How can I increase my downloads?

Downloads

Sorry, there are not enough data points to plot this chart.

My notes